Posted on Deixe um comentário

1 ÚNICA Dica para Ohrganizar todo o próximo Ano! (com uma Agenda em papel)

Adoooro uma Agenda em papel!

Quando seguro nas mãos, pela primeira vez a Agenda do ano seguinto, é um misto de Emoções que andam muito perto do que é para mim a felicidade… É ter nas mãos um livro em “branco” com a possibilidade de construirmos positivamente a nossa própria história, com infinitas possibilidade! E esta, é uma das razões pela qual, não só não dispenso uma Agenda em papel com é, para mim, o número 1 na Ohrganização e gestão de tempo!

Hoje, partilho uma única DICA que me acompanha há alguns anos e que se transmite em tranquilidade e segurança no Ohrganização e gestão de tempo do próximo ano!

E é muito simples!!!

Nesta altura (Setembro/Outubro) pego na Agenda deste ano e passo para a Agenda do próximo ano, mês a mês, a lista de coisas (tarefas, rotinas etc.) que tenho no início de cada mês, (junto ao planificado mensal – Agenda Oh!)

Agenda Oh! A6 – vista semanal

Abaixo deixo-vos uma listagem de quais os principais itens que tenho nestas listas mensais:

A nível pessoal e familiar:

  • Aniversários (coloco no planificador mensal e registo também no próprio dia…);
  • Obrigações pessoais (financeiras e não só, como por exemplo, pagamento imposto do carro, inspeção do carro, pagamento do seguro, pagamento do IMI, entrega do IRS etc);
  • Consultas e intenção de marcação de consultas;
  • Objectivos (nestas listas mensais, não tanto o objectivo em si, mas uma ou mais acções necessárias para atingir esse(s) objectivo(s).

A nível profissional:

  • – Obrigações profissionais (no meu caso que sou trabalhadora por conta própria, tenho: pagamento de seg. social, entrega da declaração da seg. social, entrega da declaração de IVA, pagamento da renda…)
  • – Objectivos profissionais (aqui incluo promoções que tenciono fazer, campanhas sazonais etc..)

Digam-me! Gostaram?

DianaDinis

Posted on Deixe um comentário

10 razões para querer o Quadro de Rotinas e Tarefas

Um dos Novos PrOhdutos, que lancei no início deste mês, é um Quadro de Rotinas e Tarefas, interactivo, com “janelas” para fechar depois de realizar a rotina/tarefa e com mensagens positivas na parte exterior da janela, e hoje trago-vos 10 razões para terem um Quadro destes em casa:

1 – É simples e muito fácil de usar – Basta abrir as “janelinhas” à noite, para depois a criança, de manhã, ir fechando a “janelinha” à medida que realiza a tarefa/rotina, mais simples é impossível! Se a Criança ainda não souber ler, leia-lhe a mensagem, depois de fechar a “janelinha”…

2 – Incentiva à realização das tarefas/rotinas – Porque elas querem ir fechar as “janelinhas” e se lhe disser “Vai lá calçar por favor, para ires fechar a “janelinha”…” as probabilidades de ela ir sem ser preciso repetir ou mesmo levantar a voz, acredite, são muito grandes…

3 – Promove autonomia – E nós bem sabemos que eles necessitam, e lhes faz muito bem (a eles e nós 😛 ) mas às vezes, ou por falta de tempo, ou por falta de paciência (sim, esta também se esgota :P) temos tendência a fazer nós as coisas deles e por eles, pois bem, óptima razão para incutir essa responsabilidade. Porque eles vão querer ser eles a fechar a “janelinha” do Quadro. O lema cá em casa é “quem faz a rotina/tarefa, fecha a janelinha”! 😉

4 – Clarifica e simplifica a Rotina – Também para nós, sabermos o que tem que ser feito, faz com que “tudo” pareça mais fácil e se faça mais rapidamente, com eles é igual…

5 – Transmite segurança e auto-confiança – Tal como a sensação de controlo nos transmite bem-estar e confiança, também às crianças saber o que têm para fazer e/ou o que fizeram ajuda a construir a auto-confiança.

6 – Tem mensagens Positivas – Até nós (adultos) gostamos (e necessitamos) de encorajamento, e às crianças mais uma vez ajuda a construir a auto-confiança. Não subestime o poder de dizer “Tu és o máximo!”…

7 – É um método que funciona – Não sou só eu que o digo, sim tenho um, e sim Ajuda, e muito! Mas a verdade é que “Quadro de Rotinas” é um método utilizado mundialmente e que funciona… 🙂

8 – É divertido – Se fizer como um Jogo, quase como se fosse uma corrida (sem competição em demasia 😉 ) é diversão garantida, e bem sabemos como eles gostam disso…

9 – É colorido – São as 7 cores da Oh, acho que está tudo dito… 😛

10 – E pronto claro, é Bonito! 😛 – E sejamos sinceros fica lindo, seja no frigorífico, seja no quarto deles! 😛 <3

Gostaram? Então fiquem a conhecer esta e outras nOhvidades aqui:

http://oh.com.pt/categoria-produto/novidades-oh/

E Claro, Boas Ohrganizações, e até ao próximo artigo,

Diana Dinis

Posted on Deixe um comentário

4 razões para querer um (o) Quadro de Progressos

Este mês (Setembro de 2020) a marca Oh Organização habitual (Eu portanto 😛 ) tem dois novos produtos disponíveis e um deles é um Quadro de Progressos para que as Tarefas e comportamentos aconteçam de forma diferente… Sem mais demoras apresento-vos 4 razões para utilizarem este PrOhduto (se tiverem crianças 😛 ), e convido-vos a verem o vídeo sobre este PrOhduto:

  1. Facilita as Rotinas e Tarefas – Facilita a realização delas com vista num objectivo (que não tem que ser algo monetário);
  1. Incentiva (as crianças) a realizá-las – Com recompensas ajustadas à idade;
  1. Motiva as crianças – Fazer as Tarefas ou realizar determinados comportamentos, compensa 😉 ;
  1. E é um método utilizado mundialmente – E que funciona…

Qualquer questão sintam-se à vontade para entrar em contacto comigo! Até ao próximo Artigo e Ohbrigada!

DianaDinis

Posted on Deixe um comentário

7 Motivos que farão de si fã #1 do Quadro de Progressos

Diana Dinis e o Quadro de Progressos!

A marca Oh tem 2 novos Produtos didácticos dedicados aos mais pequenos! Hoje para vos falar de um deles, o Quadro de Progressos, está a Psicóloga Clínica Daniela Anéis! Aqui fica a sua opinião, com base na sua formação e vasta experiência profissional!

«Educar crianças será das tarefas mais difíceis que terá de enfrentar na sua vida. Como fazê-los adquirir o gosto por fazer a cama ou arrumar os sapatos? Como ajudá-los a adquirir novas competências como fazer chichi na sanita ou calçar-se sozinho/a? Está cansado/a de puxar pela cabeça? A Oh Organização Habitual tem uma solução para si. A marca lançou recentemente um “Quadro de Progressos” cujo objectivo é facilitar essa tarefa a pais, educadores, professores, psicólogos e outros profissionais que interajam com crianças no seu dia-a-dia.

Este método já é amplamente utilizado mundialmente por quem trabalha com crianças. Vamos apresentar-vos neste artigo sete motivos para usar (e abusar!) do Quadro de Progressos!

  1. Apelativo e divertido! Com crianças temos sempre de inovar, mostrar novidades, despertar a curiosidade. Por ser novidade e ser apresentado como um jogo, é mais facilmente assimilado. E quem disse que competir é sempre mau?
  2. Simples de usar e compreender! Qualquer criança a partir dos 3 anos vai conseguir compreender a mecânica do quadro. Por cada bom comportamento levo 1 estrela, no final da semana posso contar as estrelas que tenho e recebo 1 recompensa.
  3. Ensina às crianças qual o comportamento esperado. Em vez de castigarmos pelo mau comportamento, este Quadro ensinará à criança qual o comportamento que ela deve ter e que os adultos esperam dela. Ser bem comportado compensa!
  4. Utiliza o elogio e a motivação. As estrelas são uma forma de elogio ao bom comportamento e aquisição de competências, ao mesmo tempo que mantêm a motivação das crianças para atingir objectivos. Sabe sempre bem sabermos que fomos capazes, aumentando a auto-estima e auto-confiança.
  5. Ensina a adiar a recompensa. As crianças mais bem sucedidas e resilientes são aquelas que sabem esperar e persistir nos seus objectivos. Quanto mais estrelas o seu filho/a acumular, mais aprenderá que persistir vale a pena! O que no futuro será uma óptima competência!
  6. Ensina conteúdos matemáticos. Porque há que contar as estrelas, ter noção dos dias, etc. Este tipo de produto é didáctico para as crianças também – um duplo propósito!
  7. Resulta! Depois do comportamento estar estabelecido dentro da rotina da criança, podemos “aumentar a fasquia” com comportamentos mais complexos. A aplicação deste método tem sido bem sucedida há várias décadas.

Notas finais: Idealmente as recompensas devem ser escolhidas pelas crianças e custar o mínimo de dinheiro possível. Privilegie recompensas que aumentem os momentos em família como por exemplo fazer um piquenique, ir andar de bicicleta no parque ou 1 sessão de cócegas.

Boa utilização do Quadro de Progressos!»

Muito Ohbrigada Daniela Anéis!!

Posted on Deixe um comentário

“Mum’s Needs”?! Fique a conhecer este projecto em 5 questões

Marisa do Projecto Mum’s Needs

Hoje dou-vos a conhecer o projecto Mum’s Needs que recentemente conta também com uma loja online. A Marisa é Enfermeira e sem dúvida uma Empreendedora, mas é muito mais do que isso… Fique a conhecê-la:

1 – Marisa, o projecto da Mum’s Needs é sobre Empreendedorismo Materno, o que é isso?

O projecto Mum’s Needs visa dar visibilidade a projectos de Empreendedorismo materno, isto é, projectos de mulheres que mudaram o seu percurso profissional depois da maternidade.

2- Quando surgiu o Projecto e porquê?

Aquando do nascimento da minha filha, como que num impulso, criei o @my365album, um produto que queria para a nossa família e que julgava possível vender. Este produto levou-me a feiras e mercados, onde conheci mães como eu, que mudaram a sua trajetória profissional pela sua família. E, como que num “fez-se luz”, numa noite de insónia, quando a minha cabeça não parava com ideias (tantas que tive que me levantar para as escrever!), criei uma página para partilhar histórias de mães como eu.

Chamei-lhe mums needs.

Comecei a escrever uns textos meus, em jeito de desabafo, e fui criando o blog. Fui conhecendo mais e mais mães empreendedoras (somos tantas!) que me deram o enorme prazer de contar as suas histórias de vida. Construí um website com a grande ajuda do meu marido e este foi ganhando forma e um rumo mais definido. Já contei mais de 70 histórias e partilhei outros tantos projectos. Projectos dos mais variados campos de acção: artesanato, vestuário, calçado, fotografia, nutrição, culinária, saúde, beleza, animação, montessorianos… dos 50 aos 50 mil seguidores, e o impacto tem sido maravilhoso!

3 – A Loja online da Mum’s Needs é bem recente, quando surgiu?

Apesar deste projecto de Empreendedorismo social ter nascido em Janeiro de 2019, ao conhecer os projectos das mães, denotei que havia uma dificuldade comum à maioria: vender os seus produtos. Então, criar uma loja onde todas as mães pudessem vender, sem os custos associados à criação e manutenção de uma loja online seria o próximo passo no apoio a estes projectos.

Quando delineei o plano para o ano de 2020, longe de mim imaginar que iríamos passar pelo que todos passamos. A loja estava prevista para o final do ano, mas acabou por se antecipar e ficou online no final do mês de março deste ano!

4 – O que podemos encontrar por lá?

Na loja da mum’s needs encontram apenas produtos vendidos por mães. Desde produtos de Higiene, Cosmética, Vestuário, Calçado, Artesanato, presentes únicos e originais! #CompredasMums e compre com a certeza que está a apoiar a economia familiar do nosso país!

5 – Qual foi o maior desafio que tiveram até agora?

A nossa missão é fazer com que o país reconheça o Empreendedorismo Materno como uma força na economia das famílias. E a cada passo estamos mais perto do nosso objectivo.

Os projectos e produtos maravilhosos que nascem nas salas de jantar, escritórios, cozinhas das nossas casas, precisam de sair para o mundo! E é aqui que entramos todos nós. Antes de comprar numa superfície comercial, visite a nossa loja. Compre de uma mãe, na nossa loja, com e em segurança, sabendo que está a ajudar muitas famílias. Porque aqui, ao comprar de uma mãe, está a ajudar outras também. Partilhem as suas histórias e comprem os seus produtos! As famílias portuguesas agradecem!

Muito Ohbrigada Marisa! A primeira vez que falámos, senti logo uma grande cumplicidade e isso nem sempre acontece. E sim os PrOhdutos também estão na loja Online “Mum’s Needs”!

Se é Empreendedora Materna e gostaria de colocar os seus produtos na Loja Online da Mum’s Needs, não deixe de contactar a Marisa.

Até ao próximo Artigo e continuação de Boas Férias, se for caso disso!

Diana (Daisy) Dinis

Posted on Deixe um comentário

10 coisas que me apercebi depois de me ter tornado (também) Mãe

Antes deste desafio enorme que é ser (também) Mãe, costumava olhar para algumas das minha Amigas e/ou Colegas e aperceber-me que falavam imenso dos filhos, e cheguei a pensar “Mas será que não há vida para além disso??!”. Verdade existe sim, mas adquirimos o dom de nos maravilharmos com pequeníssimas coisas que eles fazem e/ou dizem, como por exemplo quando conseguem calçar-se sozinhos, só não lançamos foguetes porque não estão à mão (e claro pode ser perigoso 😛 ).

Hoje partilho convosco 10 coisas que EU, me apercebi depois de ter adquirido, também, a função de Mãe… São elas:

1 – Também eu passei a falar da minha filha imensas vezes, e das coisas fantásticas que ela diz e/ou faz… 😛

2 – Já saía com a “casa às costas”, agora saio com 2 “casas às costas”, ou uma casa grande, ou 2 malas, ou sacos… 😛

3 – Já bati imensos recordes da quantidade de vezes que chego a uma divisão sem saber o que lá vou fazer…

4 – Acho que gosto mais de fazer os puzzles do que a minha filha…

5 – O tempo passou de Inter-regional/cidades a alfa-pendular (corre, depressa demais)…

6 – Esqueço-me de coisas básicas, como penteá-la ou lavar o rosto… 😛

7 – Procuro coisas que estão à frente dos meus olhos e não as vejo, como estar a falar ao telemóvel e durante 5 segundos pensar “mas onde é que eu coloquei o telemóvel??”… 😛

8 – Querer muitas vezes que ela não aja como a criança que ela é… 😛

9 – Saber as músicas do Panda de côr….

10 – E finalmente tenho a sensação que cresço e aprendo mais com ela do que ela comigo!

E por aí, o que acrescentariam a esta lista? E o que tiravam? 😉

Até ao próximo artigo, e Boas Férias, se for caso disso!

Diana (Daisy) Dinis

Posted on Deixe um comentário

Férias (em casa): 3 dicas para manter a organização e ter mais tranquilidade

Estamos em plena época de férias, e é normal termos tendência para deixar de fazer algumas coisas que fazemos quando não estamos, como por exemplo as horas de refeições, ou as rotinas de acordar e deitar…

Mas para quem tem filhos, esta pode não ser uma boa opção… A importância de manter as rotinas (principalmente com crianças, mas não só) vai muito para além do que vos possa escrever aqui. Sem falar que irá custar muito mais o regresso depois ao trabalho e à escola, se as rotinas forem muito alteradas. E sim, é possível ter muito mais tranquilidade se mantivermos a organização (ou começarmos a organizar) e algumas rotinas.

Aqui ficam 3 dicas para manter a organização durante as férias:

  1. Não descure as refeições

Poderia dizer-vos que a alimentação é importante e que estar muito tempo sem comer pode levar a birras (em crianças e adultos :P) mas deixo isso para quem tenha mais conhecimentos sobre o assunto. Mas posso dizer-vos que manter as refeições organizadas nas férias, é um centro de tranquilidade imensurável. Então faça as suas Ementas na mesma (se não tem por hábito fazer, é óptima altura para começar) e planeie com antecedência para minimizar as falhas, vai sentir que é capaz de mudar o mundo e na verdade estará a mudar o seu mundo, para muito melhor…

  1. Planeie o Lazer

Assim como é importante planearmos os nosso dias, também é importante planearmos algumas das coisas que queremos fazer em época de férias. Sim, ainda que seja importante termos noção que por vezes podem surgir alterações (vai sempre acontecer), é importante planear! Porquê? Primeiro porque planear transmite-nos a sensação de controlo, e segundo porque a práctica leva à excelência, então practique muito, pois acredite, vai mesmo querer ser mestre em planear e organizar a sua vida.

  1. Mantenha as rotinas

Bom, pelo menos algumas… Aquelas que são importantes para o inicio e para o final de dia uniforme e mais tranquilo, para que depois o regresso não pareça tão díspar. Não têm que acordar à mesma hora, nem ir dormir em contra-relógio, mas manter a ordem das Tarefas vai ajudar e muito a prolongar posteriormente a sensação de férias, mesmo depois de elas já terem terminado.

Em título de resumo, férias são férias e supostamente são para descansar, com excepção de quem tem coisas para fazer em casa e filhos e etc… 😛 Mas o importante é estarmos conscientes de que estamos num registo diferente e algumas coisas mudam durante este tempo em férias, e ainda bem, pois de outra forma não seriam férias, mas é igualmente importante mantermos algumas coisas (boas) e que nos levam a uma transição atenuada das diferentes alturas da nossa vida.

Até ao próximo artigo, e Boas Férias, se for caso disso!

Diana (Daisy) Dinis

Posted on Deixe um comentário

Os 3 passos de todos os hábitos

No seguimento do ultimo artigo em que escrevi sobre o desenvolvimento de um novo hábito, (se por acaso não leu, pode fazê-lo aqui: http://oh.com.pt/3-coisas-que-tem-de-saber-na-criacao-de-um-novo-bom-habito/), hoje falo dos 3 passos envolvidos em todos os nossos hábitos. Mais uma vez, esta informação que partilho hoje convosco vem de um Podcast do Professor de Mindfulness Cory Muscara, em que ele fala sobre a mecânica de um hábito, como funciona e como se desenrola a acção para que aconteça repetidamente. Na realidade cada hábito tem um ciclo de 3 passos, são eles:

  1. A Sugestão/O Desencadear – Algo que diz ao nosso cérebro para entrar em modo automático e qual o hábito a seguir.
  2. A “Rotina” – Pode ser física, como atar os atacadores, beber um café, ou pode ser mental
  3. A “Recompensa” – A “Recompensa” serve para que o nosso cérebro saiba, se este é um hábito que vale a pena manter no futuro.

Por exemplo, o acto de beber café: Nós cheiramos o café (que é a sugestão/o desencadear), bebemos o café (que é a “rotina”) e depois sentimo-nos com um pouco mais de energia (que é a “recompensa”). Na realidade, quando um hábito é criado, há uma parte do cérebro que deixa de participar na tomada de decisão, simplesmente passa para piloto automático. E isso é óptimo numa série de hábitos, como por exemplo se vamos apertar os atacadores, ou mesmo caminhar, não termos que pensar como o fazer, simplesmente fazemos sem pensar. Mas há certos hábitos que não queremos que aconteçam em automático, como por exemplo ver as redes sociais por impulso, quando na maioria das vezes, lá está, o fazemos em completo modo automático… E muitas vezes aqui (neste hábito) a sugestão/ o desencadear, é sentirmo-nos aborrecidos… Mas é possível alterarmos isso (primeiro temos que dar conta claro, e depois temos que querer mudar…) tendo em conta qual o desencadear da acção, é possível mudarmos a “rotina” que neste caso é ver as redes sociais (ou o telemóvel) compulsivamente, para algo mais benéfico para nós… Ou seja, com base no que despoleta a acção, mudamos para uma “rotina” melhor, mas para obtermos a mesma “recompensa”.

Se por acaso quiser criar um novo hábito, tenha em consideração que precisa de algo sugestivo/que desencadeie (a acção), uma “rotina”, e uma “recompensa”.

Até ao próximo artigo e divirtam-se na Observação dos vossos hábitos!

Diana (Daisy) Dinis

Posted on Deixe um comentário

3 Coisas que tem de saber na Criação de um novo (bom) hábito

Eu sigo um professor de Mindfulness americano que se chama Cory Muscara, e oiço vários podcasts e prácticas de Mindfulness da sua autoria, e em um destes, ele falava sobre dar o primeiro passo na criação de um novo hábito.

Então hoje partilho convosco 3 coisas que têm de saber no desenvolvimento de um novo hábito. São elas:

  • 1 – Altas expectativas
    Bem todos nós temos o chamado entusiasmo de principiante, na maioria das vezes temos altas expectativas sobre o que vamos fazer e até nos podemos sentir motivados, mas quando começamos e vemos tudo o que isso implica, sentimo-nos assoberbados e desistimos logo ou passado 2 ou 3 dias ou mesmo 2 ou 3 semanas, verdade?! Porque simplesmente parece-nos demasiado…
  • 2 – Dar o 1º passo
    Se for como eu e gostar de fazer “grandes” mudanças de uma vez só, sabe que gostamos de fazer tudo de uma só vez, mas na criação de um novo hábito é importante começar com pouco, algo que seja de pouco investimento do nosso tempo e energia…
    Por exemplo, vamos imaginar que gostava de começar a comer melhor. Se o objectivo no primeiro mês for alterar toda a sua alimentação ou a maior parte dela, as probabilidades de desistir são muito altas. Mas se por exemplo, se comprometer em mudar apenas 1 refeição da semana, será muito mais fácil… Porquê? Porque o mais essencial de pôr em práctica um novo hábito é dar um (primeiro) passo positivo nessa direcção. Neste caso pode por exemplo, começar por fazer (e seguir) uma Lista de Compras (se ainda não o fizer), colocando 2 ou 3 alimentos que vão ao encontro do novo hábito…
  • 3 – Obrigação VS Escolha
    Se o novo hábito parecer demasiado “pesado” e implicar “demasiadas” alterações, vai sentir que é uma obrigação, vai sentir-se cansado ainda antes de começar e acaba por querer “fugir” dele. Mas se for uma pequena alteração, algo muito simples e “rápido” de fazer, acaba por dar consigo a convencer-se a fazê-lo. E isso alavanca a nossa autonomia. E a nossa autonomia é muito importante, porque se sentimos obrigação em fazer algo, vamos muito provavelmente querer desistir, mas se for algo se escolhemos, que sentimos que seleccionámos para nós, vamo-nos sentir muito mais motivados a fazê-lo, faz-lhe sentido?
    E é por isso que começar com um passo apenas é tão importante, porque parece não ser grande alteração, mas quando já estiver integrado na sua vida e o fizer já quase sem pensar, é altura de integrar mais um passo do seu novo hábito. E depois outro e outro, até o novo hábito estar instalado… Mas no início a única coisa com que se compromete é um passo apenas.

Bom, na realidade, o que se costuma dizer é “baby steps” e não é à toa, faz todo o sentido. Não esquecer que na Criação de um novo hábito é muito importante a criação de alguma acção sustentável. Então seleccionem um pequeno passo que vá ao encontro de um novo bom hábito que queiram integrar na vossa vida, porque começar, pode e deve ser muito simples e fácil…

Até ao próximo artigo e divirtam-se na Criação de novos (bons) hábitos!
Diana (Daisy) Dinis

Posted on Deixe um comentário

Oh & Atitudes: Em 3 questões vai ficar a conhecer esta Parceria!

Diana Dinis – Oh e Helena Mendes – Clínica Atitudes

Hoje dou-vos a conhecer a Clínica Atitudes, em Ponte de Sor, onde está uma Fantástica equipa, com uma missão e visão de excelência. Partilho também convosco a opinião da Clínica sobre os Produtos Oh. Tudo numa mini-entrevista, em que vai certamente ficar claro, o porquê da nossa Parceria que hoje divulgamos!

Aqui ficam as 3 questões que coloquei à Psicóloga e Directora Clínica Helena Mendes da Clínica Atitudes:

  • 1 – Qual o trabalho desenvolvido na Clínica Atitudes? Qual a vossa missão e visão?

“A equipa multidisciplinar da Clínica Atitudes é composta por técnicos especialistas de diferentes áreas (Psicologia Clínica e Educacional, Neuropsicologia, Terapia da Fala, Psicomotricidade, Audiologia, Terapia Ocupacional e Serviço Social) que há algum tempo colaboram entre si, acreditando na importância do trabalho multidisciplinar e de interligação.

A Clínica Atitudes visa a melhoria da qualidade de vida dos seus clientes e a sua satisfação, através da prestação de serviços de qualidade e inovadores (conseguida através da melhoria contínua de todos os serviços prestados), sempre pautados pelo respeito e foco nas necessidades e particularidades dos clientes numa atitude humanizada e ampla, que tem para os nossos clientes inúmeros benefícios em termos de qualidade e eficiência nos cuidados prestados.

Ambiciona-se ser uma referência nas áreas em que se atua, sobretudo ao nível da avaliação e intervenção nas Dificuldades de Aprendizagem Específicas, bem como, na capacitação de pais e agentes educativos ao nível das Competências Socio-Emocionais.”

  • 2 – O que despertou interesse na Oh?

“Tendo em vista a melhoria contínua dos serviços prestados, o foco nas necessidades e particularidades dos clientes, está-se constantemente a inovar através da formação contínua, mas também através da criação e/ou procura de novos materiais e recursos psicoeducativos, que possam ser usados em consulta, em workshops e/ou formações de capacitação. Em momentos de pesquisa encontrou-se a Oh! A simplicidade dos seus materiais, a versatilidade na sua utilização, as cores e o design, a simpatia nos atendimentos desde o primeiro contacto, a disponibilidade perante novas dicas e sugestões, a cooperação que se gerou, fez com que se decidisse apostar na parceria.”

  • 3 – Qual a importância deste tipo de materiais para a Clínica Atitudes?

“Os materiais disponibilizados permitem trabalhar diversas competências, que depende dos materiais em causa. Por exemplo:

  1. Agendas, planificadores e ementas – o ritmo cada vez mais acelerado da vida e a multiplicidade de papéis que desempenhamos, obriga a uma gestão do tempo cada vez mais eficaz para que consigamos dar respostas às inúmeras solicitações. As agendas e planificadores podem, por isso, desempenhar um papel crucial, mas claro que a gestão do tempo implica não só a compra destes materiais como a sua utilização de uma forma maximizada, por exemplo, decidindo que coisas são verdadeiramente importantes para cada um, o modo como vamos planear o nosso caminho até elas, entre outras, sendo estes os aspetos que a equipa trabalha com os seus clientes.

Em determinadas patologias (por exemplo: demência, alzheimer) ou em reabilitação cognitiva (em situações de traumatismo crânio-encefálico e acidente vascular cerebral) podem também ser excelentes auxiliares de memória.

  1. Tabelas de Tarefas Familiares – o envolvimento de todos os elementos da família nas tarefas domésticas é crucial ao bem-estar e dinâmica da mesma, mas além disso as tarefas domésticas são atividades essenciais na educação de crianças, podendo ajudar a desenvolver inúmeras competências para a vida, como a responsabilidade, a autonomia, a organização e planificação, a cooperação e colaboração, a disciplina, o respeito, a empatia e solidariedade (as crianças aprendem a trabalhar em equipa, com pais ou irmãos, com o objetivo comum de manter a casa organizada), entre outros. E ao ser-lhes atribuída uma responsabilidade relacionada com tarefas fora do universo infantil, as crianças também ganham autoconfiança e desenvolvem a sua autoestima. Dependendo da idade, há diferentes tarefas que podem ser introduzidas no quotidiano da criança e que, normalmente, se trabalha em consulta e/ou workshops através de estratégias de psicoeducação.
  1. Tabela das emoções e jogos para crianças e jovens – permitem promover competência socioemocionais a partir do brincar e da reflexão em família (tais como identificar e nomear emoções, refletir acerca dos motivos que as desencadearam e o que fazer perante as mesmas, …), bem como estimular o diálogo, o vocabulário, a compreensão de frases, entre outras competências.

São alguns exemplos de utilização dos diversos materiais da Oh que constituem uma boa escolha para trabalhar diversas competências.

As novidades desta parceria serão disponibilizadas em breve…

Muito Ohbrigada Helena! Desenvolver esta parceria tem sido um gosto, e das coisas mais agradáveis do meu percurso profissional. Sinto que tenho crescimento pessoal e profissional a fazer convosco!

Agradeço muito, desde já, ter sido contactada, pois quando encontramos pessoas que vêem o valor do nosso trabalho e que ainda para mais, com valores semelhantes e alinhamentos iguais, verdade, só tem que dar certo!

Até “já” e, Boas Ohrganizações, Genuínas claro está!

Diana (Daisy) Dinis